keyboard_arrow_rightSaiba Mais
O Amor
O Amor

Transformação e viver

Enquanto não atravessarmos
a dor de nossa própria solidão,
continuaremos
a nos buscar em outras metades.
Para viver a dois, antes, é
necessário ser um. (Fernando Pessoa)

Porque ficamos em relacionamentos onde não somos felizes? Estava eu sentada tomando meu café da manhã na padaria ao lado de casa, quando o assunto relacionamento veio a tona.
Querendo uma opinião profissional,( por eu ser psicóloga) as pessoas que como eu tomavam seu café, foram uma a uma contanto sobre seus relacionamentos:
Um homem, separado recentemente, conta que sua mulher, brigava muito com ele, ligando várias vezes ao dia para saber onde ele estava.
Ele disse que, as vezes vendo ela muito nervosa, a levava para dar uma volta. Iam andar de carro, almoçar a berra mar e em seguida já estavam de beijinhos. No entanto, disse que percebeu que sempre tinha que fazer assim, para ficar bem. Resolveu não agir mais assim.
- Tem que ser natural. Disse ele.

Outra história:

Um homem contava que teve uma filha fora do casamento. Agora ele gostaria que a filha morasse com ele, a esposa e mais seus 4 filhos.
A esposa não aceitava. Algumas pessoas que ali estavam foram dando sua opinião. Ele não deveria, porque iria trazer brigas para casa; levaria muito trabalho para sua esposa; iria arrumar uma desavença com a esposa.
Mas o homem continuava argumentando, que a esposa tinha que aceita a filha. Usava parabolas da Biblia para fortalecer suas colocações.
Quando foi questionado o por que da pulada de cerca .Ele culpou o diabo. Dizendo que antes, ele vivia tomado pelo o espirito da bombagira e tinha mais de 20 namoradas. Pegava uma aqui e em seguida, já tinha outra em outro lugar, quando chegava.
Neste momento alguém pergunta minha opinião. Digo que ele tinha um comportamento compulssivo sexualmente.
Quando ele sai, mais questionamentos veem.
Algumas pessoas chamaram de falta de caráter a pulada de cerca do homem, outras falaram da existência tentação.
Mas de modo geral ninguém me pareceu conformado com os argumentos. Eu vi a dúvida no semblante das pessias e no silêncio que se faz no ambiente.

O Poema acima, me parece adequado para o questinamento.
Todos os dias ouvimos queixas de homens e mulheres, sobre a dificuldades e os conflitos dos relacionamentos.
Certa manhã eu com umas amigas assistia-mos um filme.
Comer, rezar e amar
. Os conflitos, encontros; desencontros; medos e amores da heroina do filme tocou cada uma de nós. Claro que de forma diferente e única.

A necessidade de sermos amados nasce conosco? Onde e como em que momento se instala os medos de amar?
Por que é tão dificil amar? Por que trocamos juras de amor num momento e pragas em outro?
Costumo afirmar sempre que não existe em um relacionamento um algoz e uma vítima. Mas sempre são os dois. Que tem, cada um na devida proporção a parcela de responsabilidades da relação. De ser como é ou de estar como esta.
Ouço ás vezes, com certo lamento, a frase:
-Não consigo ficar só.
O assunto na padaria continuou.
Agora tinha mais queixas. O sexo. Ou falta dele ou como ele é feito.
Homens que buscam o sexo com suas mulheres, só para satisfazer a suas proprias vontades. E elas cedem. Contra a prórpria vontadade.
-Se não ele busca na rua.
Repetiu a frase de outra mulher, uma das mulheres presentes. Contando da história da amiga.
Autoestima baixa? Carência? Medo.. o que é e por que é?
Amados todos queremos ser. Quem não gosta de atenção, carinho.
Eu terminei meu café e fui embora. Com uma certeza.
Lendo um livro: Celebrando a Jornada do Herói
Autora: Adélia Hill de Souza

Ela nos conta:

... Acredito na força que o amor tem para exgir o nosso crescimento, pois o amor ao outro é o maior aprendizado do amor a si mesmo. O amor é a ferramenta capaz de unir os opostos em nós e nos capacita a trazer para dentro o que estava fora, no outro ou ainda disperso em tudo.
...o relacionamento amoroso propicia grandes oportunidades ...pois as crises vêm e nos instigam a descobrir novas formas de nos colocarmos para o aprofundamento da relação. O amor propicia essa perseverança.

Eu, Edna Lucia de Queiroz, acredito no Amor. Ele é tão real e vivo para mim, como o sangue que tenho na veias. E não só o amor romântico.
O Amor, como algo que impulsiona a vida. Supera os obstáculos, cura o corpo; a alma; realiza sonhos..
O Amor com direção, com foco; objetivo; vontade.

Autora: Edna Lucia de Queiroz
PSICOLOGA